Pular para o conteúdo

A importância de considerar a Economia Comportamental nos processos de desenvolvimento de negócios

Aqui é o lugar > Blog > Cultura > A importância de considerar a Economia Comportamental nos processos de desenvolvimento de negócios

A humanidade sempre foi descrita como a dona da razão. Os humanos eram considerados racionais e suas decisões baseadas em custo benefício. Tomando como base essas perspectivas, produtos eram desenhados de forma a clarear o valor percebido, políticas de compliance eram implantadas com auditorias e punições, e a lógica de bônus era atrelada performance, satisfação e retenção de talentos.

 

Ao olharmos para o lado, abrirmos os jornais e acompanharmos as redes sociais, notamos indícios de que talvez não sejamos tão racionais assim. Devemos assumir que as nossas ações nem sempre correspondem aos nossos valores e que muitas vezes nos desviam dos nossos objetivos.

 

Por exemplo: sabemos que devemos nos exercitar regularmente, ter uma alimentação balanceada, não fumar, beber com moderação, mas temos dificuldade de seguir essa receita. Entendemos o perigo de dirigir e utilizar o celular, mas os índices preocupantes de acidentes no mundo por conta dessa prática evidenciam uma discrepância entre o que falamos e fazemos.

 

A desconstrução da racionalidade do ser humano questionou a forma como fazemos as coisas. Nossas motivações, ações e reações são muito mais complexas e suscetíveis do que imaginamos. Vamos fazer um exercício! Observe os seus comportamentos e responda para si mesmo as seguintes perguntas:

 

  • Você mentiu no último mês?
  • Você comeu mais do que gostaria desde o início da semana?
  • Você dirigiu mexendo  ou falando ao celular?
  • Ingeriu álcool e dirigiu?
  • Gastou mais dinheiro do que havia planejado?

 

Mesmo não lhe conhecendo, posso imaginar a resposta de cada uma das perguntas acima, afinal de contas a natureza humana da irracionalidade não é privilégio de um indivíduo. Considerando essa nova perspectiva, como fica a construção de um produto? E a apresentação de vendas? E como garantir o cumprimento dos termos contratuais do nosso fornecedor? E o comprometimento dos meus funcionários?

 

Esse é o artigo introdutório de uma série de outros textos que vão ajudar a elucidar essas questões, trazendo perspectivas mais complexas com soluções incrivelmente simples.

 

Thais Gargantini - Expo Ensino

RGE Campinas
Postado por: RGE Campinas
Publicado em: 25/04/2018

A Rede Global do Empreendedorismo acredita que o Brasil pode se transformar em uma referência mundial no tema de desenvolvimento do ecossistema empreendedor. Mas, apesar de ¾ da população afirmarem que prefeririam abrir seu próprio negócio, o empreendedorismo ainda é visto como coisa de super-herói no Brasil.

Você também pode gostar destes artigos

23/10/2018

Criada em 2011, a Méliuz é uma startup brasileira que disponibiliza cupons de desconto de lojas online gratuitamente e devolve ao consumidor, em dinheiro, parte do valor gasto em compras. […]

28/03/2018

Desde pequena eu pensava em ideias e soluções para os maiores problemas da humanidade. Na minha infantilidade, tudo parecia simples e fácil de resolver. Com o passar do tempo e […]

07/03/2018

Quanto ganha um estudante universitário que dá aulas particulares de música em uma grande cidade do Brasil? Entre 40 e 60 reais? Uau, isso é magnífico comparado com um estudante […]