Pular para o conteúdo

Se a vontade de fazer algo diferente é maior, não há idade para começar

  20 anos: essa foi a idade com a qual decidi começar a empreender. Se tem uma coisa que eu posso afirmar é que empreender não exige nenhum tipo de

Entrevista com o Empreendedor

 

20 anos: essa foi a idade com a qual decidi começar a empreender. Se tem uma coisa que eu posso afirmar é que empreender não exige nenhum tipo de curso superior; a matéria prima do empreendedorismo chama-se vontade.

 

Vontade de querer fazer acontecer, vontade fazer a diferença, vontade deixar um legado inesquecível, vontade de fazer sempre mais.

 

Desde pequeno sempre fui muito influenciado por meus pais a seguir uma vida profissional na área de tecnologia. Logo aos 16 anos comecei a trabalhar na empresa deles. Não demorou muito e nossas ideias já não batiam. Engraçado dizer isso, mas naquele tempo eu já sentia a vontade de fazer algo diferente.

 

Passei por alguns escritórios de contabilidade, empresas de RH, trabalhei na Fábrica da Mercedes Benz e meu pai dizia: “Filho, seu futuro está garantido nessa grande empresa, sossegue agora”. Bem..., nesse momento, o conselho que posso dar a um futuro empreendedor é:

 

Faça aquilo que seu coração mandar!

 

Se a vontade de fazer algo diferente é maior, siga em frente!

 

Obviamente, um ano depois eu já estava em outra empresa e dessa vez seria a última antes de dar o start inicial nessa minha nova jornada.

 

Permaneci por cerca de um ano e meio nessa empresa onde conheci minha noiva, parte fundamental da minha vida profissional. Ao todo, foram cerca de sete empregos em quatro anos, de todos os lugares pelos quais passei levo comigo experiência e habilidades, coisas que nenhuma faculdade poderia me ensinar.

 

Ter vivenciado tudo isso foi primordial para eu que pudesse ter mínimo de conhecimento sobre o mercado no qual estava prestes a entrar.

 

Portanto, entender realmente qual é a dor do mercado em que pretende empreender é fundamental para criar um negócio no minimamente duradouro.

 

Como na maioria das empresas, o start inicial não foi fácil: ser reconhecido leva tempo e o esforço para que isso ocorra deve ser diário. Por muitas vezes você deixará de lado prazeres como viagens, finais de semana e ficará várias noites sem dormir. Porém, se mesmo assim a vontade de continuar permanecer, tenha certeza que a sucesso virá de forma condizente ao seu esforço.

 

Começando e dividindo responsabilidades

 

Trabalhei por cerca de um ano em home office ao lado da minha noiva, consolidando pouco a pouco o nome da nossa empresa. Ter ela ao meu lado ajudou muito durante nosso crescimento inicial, e eu descobri que as tarefas administrativas e financeiras são tão importantes quanto qualquer outra.

 

Conseguimos dividir as tarefas muito bem e pouco a pouco as coisas foram acontecendo.

 

Um ponto importante na organização de nossa empresa foi ter adquirido logo nos primeiros dias de vida um sistema que pudesse controlar todas as etapas de nosso negócio, conhecido como ERP. Assim, sempre tivemos as informações da empresa em nossas mãos e com o conhecimento administrativo que ela tinha, acabamos tomando as decisões mais inteligentes em várias situações.

 

Reconhecer que eu não era bom em tudo e compreender que existiam pessoas que poderiam ajudar, fez com que a carga de trabalho fosse melhor dividida. Assim, automaticamente a performance do nosso trabalho foi melhorando e nosso negócio foi ganhando mais mercado.

Expandindo o time e o negócio

 

Contratamos os nossos primeiros funcionários ainda trabalhando em casa e cerca de um ano depois inauguramos nossa primeira loja física.

 

Um ponto importante que serve de lição para qualquer empreendedor é que quando estamos “em campo”, muitas oportunidades acontecem. Durante o último ano cheguei a ter seis segmentos dentro no meu negócio, chegou um ponto em que já não conseguia controlar a performance de todos eles e isso começou a impactar de forma negativa no crescimento da empresa.

 

Buscar ajuda: foi isso que fiz quando já não obtinha respostas para os problemas que começaram a acontecer. Não demorou muito e logo encontrei a solução através de um amigo, que me disse a seguinte frase:

 

Nesse momento, não é o que você fará a mais que dará o crescimento para seu negócio, mas sim o que você irá deixar de fazer”.

 

Coincidência ou não, logo em seguida participei de uma palestra sobre vendas e ouvi sobre a Lei de Pareto, que diz que 80% do que ganhamos está nos 20% em que fazemos. Apliquei essa solução na empresa e logo as coisas começaram a acontecer novamente.

 

Se pudesse definir todo esse processo em uma só palavra, seria posicionamento. Todo empreendedor precisa se posicionar no mercado para ser reconhecido naquilo que realmente faz de melhor.

 

Atualmente estou empreendendo em um novo projeto, uma startup chamada BuscarApp. Eu comentei lá em cima que ter um sistema de gestão logo no início foi um grande diferencial para o crescimento da empresa: pois bem, agora eu quero ajudar outros empreendedores a terem um caminho mais assertivo para essa escolha. Quero contribuir com as minhas experiências, pois como eu disse, sempre quis fazer a diferença.

 

Jean Andreeta - Hazap Informática e BuscarApp

 

Conheça outros Empreendedores

A sucessão familiar significa dar continuidade a um sonho estabelecido anteriormente pelos fundadores. Entretanto, viver o crescimento de uma empresa e presenciar a necessidade do fôlego da sucessão realmente não […]

Mulher forte com um grandioso projeto em mãos, ela é a professora Sílvia Regina Brandalise, conhecida e reconhecida por idealizar em 1980 e liderar até hoje o Centro Infantil Doutor Domingos Boldrini, em Campinas, considerado o maior hospital especializado da América Latina na área da onco-hematologia pediátrica.

Quase 9 anos de um trabalho reconhecido em uma bela empresa, uma das melhores para se trabalhar. Eu literalmente estava na minha zona de conforto, com alto grau de conhecimento […]