Pular para o conteúdo

Mais borracha do que lápis: Você sabe o que é Canvas e como usá-lo?

Aqui é o lugar > Blog > Conhecimento > Mais borracha do que lápis: Você sabe o que é Canvas e como usá-lo?

Eu tive a sorte de conhecer a ferramenta do canvas um pouquinho antes de tomar a decisão de empreender. Foi o canvas que me ajudou a clarear e a estruturar as ideias que eu tinha. Ao mesmo tempo em que é uma ferramenta muito simples, me fez pensar em todos os pontos da cadeia do negócio e cada função da empresa.

 

Sim, não vou negar: como aluna exemplar, eu peguei todos aqueles modelos do curso do MBA, escrevi literalmente o Plano de Negócios, defini o negócio, tracei o modelo conceitual, pontos fortes e críticos de sucesso, competências, escrevi missão, visão, fiz análise ambiental,  de mercado, oportunidades e ameaças, grupos estratégicos, viabilidade de investimentos, etc...

 

Mas sabe o que me deu de verdade a visão e o mapa do todo?

O Business Model Canvas! Ou o Quadro do Modelo de Negócios. Hoje, essa é uma ferramenta que o Sebrae divulga e que está disponível na internet. Existem inclusive aplicativos onde você vai colando os Post-its virtuais, como o Canvanizer . Mas, como comecei 3 anos atrás, eu tive que devorar o livro escrito pelo Alex Osterwalder, chamado  “Business Model Generation”.

 

Em resumo, o Business Model Canvas é uma feramenta usada para o planejamento estratégico. Com ela, você esboça um modelo de negócio em um mapa visual com nove blocos:

 

            Fonte: Sebrae

 

  • A Proposta de valor é aquilo que você vai oferecer aos usuários e realmente terá impacto para eles.
  • O Segmento de clientes se refere às pessoas que você pretende atingir, que são o foco do seu negócio.
  • Os Canais são as formas como o cliente fará a compra e receberá o seu produto ou serviço.
  • O bloco Relacionamento com clientes se refere às maneiras como você pretende se relacionar com cada tipo de perfil de cliente.
  • A Atividade-chave é a atividade essencial que deverá ser desenvolvida a fim de entregar para o cliente a proposta de valor almejada.
  • Os Recursos principais são tudo aquilo que você vai precisar ter para conseguir realizar a atividade-chave.
  • Da mesma forma, o bloco Parcerias principais refere-se a atividades-chave e recursos principais que virão de fora da sua empresa por algum acordo ou serão terceirizados.
  • As Fontes de receita são as formas pelas quais o seu negócio irá obter lucro, com base na proposta de valor determinada.
  • Já a Estrutura de custos deve relacionar os principais custos necessários para que o negócio proposto possa funcionar

 

Com base em todos esses blocos você terá uma conceitualização do seu negócio, e saberá mais profundamente a forma como vai operar e gerar valor no mercado.  Então, se você puder, antes de mais nada escreva o seu projeto no Canvas.

 

Mas saiba que o quadro não faz nada sozinho. Você tem que entender que o fazer e refazer faz parte do processo todo. Você vai olhar para o quadro um dia e achar que está pronto, depois logo no dia seguinte vai olhar de novo e ver que aquilo que você pensou pode ser diferente. Então vai colocar outros post-its e movê-los de um lugar para o outro infinitas vezes

 

É o processo. Como já dizia Tom Jobim, ao escrever e compor,  a borracha é mais frequentemente usada que o lápis.

 

Paula Francheschini - Espaço Sete Criativo

Empreendedora Inovadora

RGE Campinas
Postado por: RGE Campinas
Publicado em: 11/01/2018

A Rede Global do Empreendedorismo acredita que o Brasil pode se transformar em uma referência mundial no tema de desenvolvimento do ecossistema empreendedor. Mas, apesar de ¾ da população afirmarem que prefeririam abrir seu próprio negócio, o empreendedorismo ainda é visto como coisa de super-herói no Brasil.

Você também pode gostar destes artigos

22/11/2018

Andrius Henrique Sperque – Founding Team Member & Head of Technology na Youcanevent.com, empresa americana sediada na Califórnia. Youcanevent é um Marketplace Online no qual empresas podem realizar a contratação […]

22/08/2018

Se fôssemos apostar no lugar comum diríamos que grandes corporações veem startups como ameaça. Seguiríamos então afirmando que toda startup quer destruir os modelos de negócio de grandes corporações. Não se deixe guiar […]

18/04/2018

  Vivemos em uma era em que startups se tornaram gigantes da Tecnologia e quebraram paradigmas da cultura corporativa ao revolucionar organizações, fluxos, processos e hierarquias. Este novo cenário proporcionou […]